Google+

English


Paulo Miklos na Web

Sobre

Ao longo de sua carreira, Paulo Miklos se tornou muitos artistas ao mesmo tempo. Na via principal, construiu uma sólida personalidade como cantor e compositor, sobretudo nos 34 anos em que integrou os Titãs, banda de que foi cofundador em 1982. Ali, Miklos se tornou o intérprete de clássicos absolutos do rock brasileiro. Ele é a voz de “Sonífera Ilha”, “Bichos Escrotos”, “Diversão” e até de canções alheias, como “É Preciso Saber Viver”, que ganhou nova vida a partir da releitura feita por ele em 1998. Seu timbre inconfundível é, desde então, parte da memória afetiva nacional. Na via paralela, Paulo Miklos ergueu uma já consagrada carreira como ator – no cinema, na televisão e no teatro. Apresentou programas de TV, foi jurado de reality show, fez tudo o que quis – e foi bem-sucedido em todas essas investidas, pelas quais ganhou prêmios e prestígio.


Fértil compositor, fez dois álbuns individuais em paralelo aos Titãs: “Paulo Miklos” (1994), e “Vou Ser Feliz e Já Volto” (2001). Eram trabalhos que escoavam sua produção autoral fora do repertório da banda e são o fio condutor para chegar ao “agora” que Miklos entona no título do mais recente trabalho “A Gente Mora no Agora”. É no palco, levando a turnê do novo disco, que Paulo Miklos junta todos os artistas que se tornou. Estão em cena o compositor, o intérprete, o ator, o instrumentista. Todos têm de estar presentes na verdadeira estreia individual de Paulo Miklos. Por todas essas, A Gente Mora no Agora se faz um petardo ainda mais relevante na história da música popular brasileira recente.

Discografia