Google+

English

Polysom relança disco “Zero e Um” do Dead Fish

Desde o começo da sua carreira e até hoje o Dead Fish é destaque da cena hardcore brasileira. Um dos maiores nomes do segmento, o grupo capixaba sempre lotou seus shows e continua carregando legião de fãs por onde passa. Ainda de forma independente, lançou seus três primeiros álbuns. O quarto disco de estúdio, “Zero e Um” (2004), marcou uma mudança de fase na banda, com a produção de Rafael Ramos e o contrato com a gravadora Deck. E é esse disco do Dead Fish que a Polysom lança mês que vem em vinil.

O grupo, na época formado por Rodrigo (voz), Nô (bateria), Alyand (baixo e voz), Hóspede (guitarra) e Philippe (guitarra e voz), ficou conhecido por seu som forte, intenso, cheio de riffs de guitarra poderosos e letras críticas. As 14 faixas desse álbum são exemplos disso, mesmo aquelas com menos de um minuto como “Senhor, Seu Troco” e “Desencontros”. O disco segue cheio de mensagens, como “Há urgência em estar vivo”, de “Urgência”, ou “Um bom computador e um carro veloz pra me manter distante de mim”, da faixa-título, ou “Onde há muros, há o que esconder”, da clássica “Você”. Estão ainda em “Zero e Um”: “Tão Iguais’, “Queda Livre” e “Bem-Vindo ao Clube”.

Com todas as músicas e letras assinadas pelo Dead Fish, o disco foi mixado por Ryan Greene ( NOFX, Lagwagon, No Use For a Name, Sick of it all, Bad Religion, entre outros) no Motor Studios, em São Francisco (CA – EUA). O vinil em prensagem especial bicolor (metade preto e metade amarelo) chega às lojas em julho de 2013.