Google+

English


Ponto Nulo No Céu na Web

Sobre

Existente desde 2007, a Ponto Nulo No Céu surge no cenário brasileiro trazendo inovações em vários aspectos. A banda nasce na cidade de Gravatal, interior de Santa Catarina, da vontade de quatro amigos (Dijjy Rodriguez, Julio Cargnin, Henrique Corrêa, Vinícius Corrêa) que queriam simplesmente tocar o que gostavam. Inicialmente, os covers serviram para um entrosamento pleno entre os integrantes, mas a intenção em fazer música autoral em português esteve presente já no germe da ideia de banda, quando influenciados, principalmente, pelo New Metal e Rap rabiscavam as primeiras músicas em forma de demo: Fim do Dia e O Sangue Que Te Cega. O primeiro EP, Ciclo Interminável, veio em 2008, já com a contando com a produção de Adair Daufembach. Este trabalho se fez notável por ser diferenciado, pois a riqueza em detalhes e cuidado com toda a produção em torno da banda, que é uma de suas marcas. Logo o reconhecimento veio e, através da internet, conseguem uma posição privilegiada no cenário independente nacional e se apresentam em alguns estados brasileiros. No ano de 2010, uma nova personalidade é integrada à Ponto Nulo No Céu. André Bresiani traz novas influências somando na musicalidade e sensibilidade do grupo, já compondo e ensaiando um próximo passo. Em 2011 é lançado o primeiro álbum completo, Brilho Cego. Este registro por sua vez, extremamente detalhado e trabalhado consolida o poder de alcance da banda e a força de suas mensagens reflexivas. Após muitos shows, conquistas e uma bonita história construída, ao final do ano de 2012, entram em hiato, por conta da saída de alguns integrantes para se dedicarem em outros projetos pessoais, deixando seu legado.


Passados dois anos, a Ponto Nulo retorna aos palcos com as energias renovadas e com a formação reformulada. Um novo grupo foi formado e atualmente os nomes que integram a Ponto Nulo No Céu nessa fase são: Lucas Taboada, Fau, Felipe Taboada e Dijjy Rodriguez (único remanescente da formação original). A banda renasce então já com o lançamento de dois novos singles: "Fluxo Natural", que marca o novo ciclo iniciado, e "Nous Sommes La Résistance", ambas produção de Adair Daufembach, produtor desde o primeiro EP. O som é diferente, com novas influências e, de certa forma, remete as raízes da banda, porém com um notável amadurecimento na maneira de fazer música. Com menos de um mês da volta, recebem duas premiações no ilustre Prêmio da Música Catarinense, no ano de 2014, onde concorreram com artistas de todos os estilos musicais, sendo eleitos nas categorias de Melhor Banda e Melhor Videoclipe. A Ponto Nulo traz consigo muito sentimento e uma musicalidade bem diversificada, tendo influências que vão de Clube da Esquina a Deftones, de Orwell a Mckenna, uma verdadeira mistura concisa. Talvez o principal diferencial da PNNC seja a postura. Tudo relacionado a banda tem algum significado forte, as palavras "paz" e "união" são imperativos nos shows e composições. A banda também é precursora de um movimento chamado União Underground, cujo intuito de unir os artistas independentes para fortalecer os projetos e cenas que não ganham espaço nas mídias. Neste momento se concentram na composição de um novo álbum, previsto para o primeiro semestre de 2016. Este novo trabalho vai mostrar a nova identidade e promete ser um divisor de águas na cena independente brasileira.

Discografia