Google+

English

Deck lança segundo volume de 3 na Bossa

O surgimento da Bossa Nova mudou os rumos da música brasileira para sempre, conquistando o mundo e sendo inspiração para as gerações que a seguiram. Para homenagear esse estilo e seus principais compositores, foi criado o projeto “3 na Bossa”, que no ano de 2000 lançou cinco discos com versões instrumentais para clássicos do gênero. Agora, a Deck faz uma segunda edição, inédita, gravada no estúdio Tambor (Rio de Janeiro), com repertório pós-Bossa Nova, com canções que ficaram consagradas na MPB. Com um trio de grandes musicistas, formado por Fernando Merlino (piano e arranjos), Zé Luiz Maia (baixo), e Erivelton Silva (bateria), o box, que chega esse mês às lojas, traz 70 músicas, distribuídas em cinco discos produzidos por Kazuo Yoshida, baterista e profundo conhecedor da música brasileira, que já trabalhou em diversos projetos do estilo no Brasil e no Japão.

O primeiro CD recebeu o nome “Olha Aqui Este Sambinha (Samba Saravah)”, e traz músicas de autores como Chico Buarque, Jorge Ben, Tom Jobim, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Baden Powell e Vinicius de Moraes, entre outros. Entre elas “Apesar de Você”, “Cadê Tereza”, “Lígia”, “Foi um Rio que Passou em Minha Vida”, “Aquele Abraço” e “Samba da Benção”.

Intitulado “Amanhã Tudo Volta ao Normal (Bridges)”, o segundo álbum apresenta as versões do trio para canções como “Travessia”, “A Rita”, “Eu Quero É Botar meu Bloco na Rua”, entre outras. O CD 3, “Abre Alas Pra Minha Folia (By The Shine of Your Eyes)”, tem composições de João Bosco e Aldir Blanc (“O Bêbado e a Equilibrista”), Caetano Veloso (“Atrás do Trio Elétrico”) e Luiz Melodia (“Estácio Holly Estácio), para citar alguns.

“Canta Canta Minha Gente (My Sweetheart)”, quarto disco, é composto por clássicos como “Gente Humilde”, “Menina da Ladeira”, “Luiza”, além do clássico de Martinho da Vila que lhe dá nome. Fechando a coletânea, o quinto álbum, intitulado “Pra Ver a Banda Passar (Back to Brazil)”, traz composições de Ronaldo Monteiro e Ivan Lins (“Madalena”), Antonio Adolfo e Tibério Gaspar (“Sá Marina”) e Paulinho da Viola (“Argumento”), entre outros.

3 Na Bossa – Volume 2

O surgimento da Bossa Nova mudou os rumos da música brasileira para sempre, conquistando o mundo e sendo inspiração para as gerações que a seguiram. Para homenagear esse estilo e seus principais compositores, foi criado o projeto “3 na Bossa”, que no ano de 2000 lançou cinco discos com versões instrumentais para clássicos do gênero. Agora, a Deck faz uma segunda edição, inédita, gravada no estúdio Tambor (Rio de Janeiro), com repertório pós-Bossa Nova, todas canções que ficaram consagradas na MPB. Com um trio de grandes musicistas, formado por Fernando Merlino (piano e arranjos), Zé Luiz Maia (baixo), e Erivelton Silva (bateria), o box traz 70 músicas, distribuídas em cinco discos produzidos por Kazuo Yoshida, baterista e profundo conhecedor da música brasileira, que já trabalhou em diversos projetos do estilo no Brasil e no Japão.

O primeiro CD recebeu o nome “Olha Aqui Este Sambinha (Samba Saravah)”, e traz músicas de autores como Chico Buarque, Jorge Ben, Tom Jobim, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Baden Powell e Vinicius de Moraes, entre outros. Entre elas “Apesar de Você”, “Cadê Tereza”, “Lígia”, “Foi um Rio que Passou em Minha Vida”, “Aquele Abraço” e “Samba da Benção”.

Intitulado “Amanhã Tudo Volta ao Normal (Bridges)”, o segundo álbum apresenta as versões do trio para canções como “Travessia”, “A Rita”, “Eu Quero É Botar meu Bloco na Rua”, entre outras. O CD 3, “Abre Alas Pra Minha Folia (By The Shine of Your Eyes)”, tem composições de João Bosco e Aldir Blanc (“O Bêbado e a Equilibrista”), Caetano Veloso (“Atrás do Trio Elétrico”) e Luiz Melodia (“Estácio Holly Estácio), para citar alguns.

“Canta Canta Minha Gente (My Sweetheart)”, quarto disco, é composto por clássicos como “Gente Humilde”, “Menina da Ladeira”, “Luiza”, além do clássico de Martinho da Vila que lhe dá nome. Fechando a coletânea, o quinto álbum, intitulado “Pra Ver a Banda Passar (Back to Brazil)”, traz composições de Ronaldo Monteiro e Ivan Lins (“Madalena”), Antonio Adolfo e Tibério Gaspar (“Sá Marina”) e Paulinho da Viola (“Argumento”), entre outros.

Pra Ver A Banda Passar (Back to Brazil)

O surgimento da Bossa Nova mudou os rumos da música brasileira para sempre, conquistando o mundo e sendo inspiração para as gerações que a seguiram. Para homenagear esse estilo e seus principais compositores, foi criado o projeto “3 na Bossa”, que no ano de 2000 lançou cinco discos com versões instrumentais para clássicos do gênero. Agora, a Deck faz uma segunda edição, inédita, gravada no estúdio Tambor (Rio de Janeiro), com repertório pós-Bossa Nova, todas canções que ficaram consagradas na MPB. Com um trio de grandes musicistas, formado por Fernando Merlino (piano e arranjos), Zé Luiz Maia (baixo), e Erivelton Silva (bateria), o box traz 70 músicas, distribuídas em cinco discos produzidos por Kazuo Yoshida, baterista e profundo conhecedor da música brasileira, que já trabalhou em diversos projetos do estilo no Brasil e no Japão.

O primeiro CD recebeu o nome “Olha Aqui Este Sambinha (Samba Saravah)”, e traz músicas de autores como Chico Buarque, Jorge Ben, Tom Jobim, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Baden Powell e Vinicius de Moraes, entre outros. Entre elas “Apesar de Você”, “Cadê Tereza”, “Lígia”, “Foi um Rio que Passou em Minha Vida”, “Aquele Abraço” e “Samba da Benção”.

Intitulado “Amanhã Tudo Volta ao Normal (Bridges)”, o segundo álbum apresenta as versões do trio para canções como “Travessia”, “A Rita”, “Eu Quero É Botar meu Bloco na Rua”, entre outras. O CD 3, “Abre Alas Pra Minha Folia (By The Shine of Your Eyes)”, tem composições de João Bosco e Aldir Blanc (“O Bêbado e a Equilibrista”), Caetano Veloso (“Atrás do Trio Elétrico”) e Luiz Melodia (“Estácio Holly Estácio), para citar alguns.

“Canta Canta Minha Gente (My Sweetheart)”, quarto disco, é composto por clássicos como “Gente Humilde”, “Menina da Ladeira”, “Luiza”, além do clássico de Martinho da Vila que lhe dá nome. Fechando a coletânea, o quinto álbum, intitulado “Pra Ver a Banda Passar (Back to Brazil)”, traz composições de Ronaldo Monteiro e Ivan Lins (“Madalena”), Antonio Adolfo e Tibério Gaspar (“Sá Marina”) e Paulinho da Viola (“Argumento”), entre outros.

Canta, Canta Minha Gente (My Sweetheart)

O surgimento da Bossa Nova mudou os rumos da música brasileira para sempre, conquistando o mundo e sendo inspiração para as gerações que a seguiram. Para homenagear esse estilo e seus principais compositores, foi criado o projeto “3 na Bossa”, que no ano de 2000 lançou cinco discos com versões instrumentais para clássicos do gênero. Agora, a Deck faz uma segunda edição, inédita, gravada no estúdio Tambor (Rio de Janeiro), com repertório pós-Bossa Nova, todas canções que ficaram consagradas na MPB. Com um trio de grandes musicistas, formado por Fernando Merlino (piano e arranjos), Zé Luiz Maia (baixo), e Erivelton Silva (bateria), o box traz 70 músicas, distribuídas em cinco discos produzidos por Kazuo Yoshida, baterista e profundo conhecedor da música brasileira, que já trabalhou em diversos projetos do estilo no Brasil e no Japão.

O primeiro CD recebeu o nome “Olha Aqui Este Sambinha (Samba Saravah)”, e traz músicas de autores como Chico Buarque, Jorge Ben, Tom Jobim, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Baden Powell e Vinicius de Moraes, entre outros. Entre elas “Apesar de Você”, “Cadê Tereza”, “Lígia”, “Foi um Rio que Passou em Minha Vida”, “Aquele Abraço” e “Samba da Benção”.

Intitulado “Amanhã Tudo Volta ao Normal (Bridges)”, o segundo álbum apresenta as versões do trio para canções como “Travessia”, “A Rita”, “Eu Quero É Botar meu Bloco na Rua”, entre outras. O CD 3, “Abre Alas Pra Minha Folia (By The Shine of Your Eyes)”, tem composições de João Bosco e Aldir Blanc (“O Bêbado e a Equilibrista”), Caetano Veloso (“Atrás do Trio Elétrico”) e Luiz Melodia (“Estácio Holly Estácio), para citar alguns.

“Canta Canta Minha Gente (My Sweetheart)”, quarto disco, é composto por clássicos como “Gente Humilde”, “Menina da Ladeira”, “Luiza”, além do clássico de Martinho da Vila que lhe dá nome. Fechando a coletânea, o quinto álbum, intitulado “Pra Ver a Banda Passar (Back to Brazil)”, traz composições de Ronaldo Monteiro e Ivan Lins (“Madalena”), Antonio Adolfo e Tibério Gaspar (“Sá Marina”) e Paulinho da Viola (“Argumento”), entre outros.

Abre Alas Pra Minha Folia (By The Shine of Your Eyes)

O surgimento da Bossa Nova mudou os rumos da música brasileira para sempre, conquistando o mundo e sendo inspiração para as gerações que a seguiram. Para homenagear esse estilo e seus principais compositores, foi criado o projeto “3 na Bossa”, que no ano de 2000 lançou cinco discos com versões instrumentais para clássicos do gênero. Agora, a Deck faz uma segunda edição, inédita, gravada no estúdio Tambor (Rio de Janeiro), com repertório pós-Bossa Nova, todas canções que ficaram consagradas na MPB. Com um trio de grandes musicistas, formado por Fernando Merlino (piano e arranjos), Zé Luiz Maia (baixo), e Erivelton Silva (bateria), o box traz 70 músicas, distribuídas em cinco discos produzidos por Kazuo Yoshida, baterista e profundo conhecedor da música brasileira, que já trabalhou em diversos projetos do estilo no Brasil e no Japão.

O primeiro CD recebeu o nome “Olha Aqui Este Sambinha (Samba Saravah)”, e traz músicas de autores como Chico Buarque, Jorge Ben, Tom Jobim, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Baden Powell e Vinicius de Moraes, entre outros. Entre elas “Apesar de Você”, “Cadê Tereza”, “Lígia”, “Foi um Rio que Passou em Minha Vida”, “Aquele Abraço” e “Samba da Benção”.

Intitulado “Amanhã Tudo Volta ao Normal (Bridges)”, o segundo álbum apresenta as versões do trio para canções como “Travessia”, “A Rita”, “Eu Quero É Botar meu Bloco na Rua”, entre outras. O CD 3, “Abre Alas Pra Minha Folia (By The Shine of Your Eyes)”, tem composições de João Bosco e Aldir Blanc (“O Bêbado e a Equilibrista”), Caetano Veloso (“Atrás do Trio Elétrico”) e Luiz Melodia (“Estácio Holly Estácio), para citar alguns.

“Canta Canta Minha Gente (My Sweetheart)”, quarto disco, é composto por clássicos como “Gente Humilde”, “Menina da Ladeira”, “Luiza”, além do clássico de Martinho da Vila que lhe dá nome. Fechando a coletânea, o quinto álbum, intitulado “Pra Ver a Banda Passar (Back to Brazil)”, traz composições de Ronaldo Monteiro e Ivan Lins (“Madalena”), Antonio Adolfo e Tibério Gaspar (“Sá Marina”) e Paulinho da Viola (“Argumento”), entre outros.

Amanhã Tudo Volta Ao Normal (Bridges)

O surgimento da Bossa Nova mudou os rumos da música brasileira para sempre, conquistando o mundo e sendo inspiração para as gerações que a seguiram. Para homenagear esse estilo e seus principais compositores, foi criado o projeto “3 na Bossa”, que no ano de 2000 lançou cinco discos com versões instrumentais para clássicos do gênero. Agora, a Deck faz uma segunda edição, inédita, gravada no estúdio Tambor (Rio de Janeiro), com repertório pós-Bossa Nova, todas canções que ficaram consagradas na MPB. Com um trio de grandes musicistas, formado por Fernando Merlino (piano e arranjos), Zé Luiz Maia (baixo), e Erivelton Silva (bateria), o box traz 70 músicas, distribuídas em cinco discos produzidos por Kazuo Yoshida, baterista e profundo conhecedor da música brasileira, que já trabalhou em diversos projetos do estilo no Brasil e no Japão.

O primeiro CD recebeu o nome “Olha Aqui Este Sambinha (Samba Saravah)”, e traz músicas de autores como Chico Buarque, Jorge Ben, Tom Jobim, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Baden Powell e Vinicius de Moraes, entre outros. Entre elas “Apesar de Você”, “Cadê Tereza”, “Lígia”, “Foi um Rio que Passou em Minha Vida”, “Aquele Abraço” e “Samba da Benção”.

Intitulado “Amanhã Tudo Volta ao Normal (Bridges)”, o segundo álbum apresenta as versões do trio para canções como “Travessia”, “A Rita”, “Eu Quero É Botar meu Bloco na Rua”, entre outras. O CD 3, “Abre Alas Pra Minha Folia (By The Shine of Your Eyes)”, tem composições de João Bosco e Aldir Blanc (“O Bêbado e a Equilibrista”), Caetano Veloso (“Atrás do Trio Elétrico”) e Luiz Melodia (“Estácio Holly Estácio), para citar alguns.

“Canta Canta Minha Gente (My Sweetheart)”, quarto disco, é composto por clássicos como “Gente Humilde”, “Menina da Ladeira”, “Luiza”, além do clássico de Martinho da Vila que lhe dá nome. Fechando a coletânea, o quinto álbum, intitulado “Pra Ver a Banda Passar (Back to Brazil)”, traz composições de Ronaldo Monteiro e Ivan Lins (“Madalena”), Antonio Adolfo e Tibério Gaspar (“Sá Marina”) e Paulinho da Viola (“Argumento”), entre outros.

Olha Aqui Esse Sambinha (Samba Saravah)

O surgimento da Bossa Nova mudou os rumos da música brasileira para sempre, conquistando o mundo e sendo inspiração para as gerações que a seguiram. Para homenagear esse estilo e seus principais compositores, foi criado o projeto “3 na Bossa”, que no ano de 2000 lançou cinco discos com versões instrumentais para clássicos do gênero. Agora, a Deck faz uma segunda edição, inédita, gravada no estúdio Tambor (Rio de Janeiro), com repertório pós-Bossa Nova, todas canções que ficaram consagradas na MPB. Com um trio de grandes musicistas, formado por Fernando Merlino (piano e arranjos), Zé Luiz Maia (baixo), e Erivelton Silva (bateria), o box traz 70 músicas, distribuídas em cinco discos produzidos por Kazuo Yoshida, baterista e profundo conhecedor da música brasileira, que já trabalhou em diversos projetos do estilo no Brasil e no Japão.

O primeiro CD recebeu o nome “Olha Aqui Este Sambinha (Samba Saravah)”, e traz músicas de autores como Chico Buarque, Jorge Ben, Tom Jobim, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Baden Powell e Vinicius de Moraes, entre outros. Entre elas “Apesar de Você”, “Cadê Tereza”, “Lígia”, “Foi um Rio que Passou em Minha Vida”, “Aquele Abraço” e “Samba da Benção”.

Intitulado “Amanhã Tudo Volta ao Normal (Bridges)”, o segundo álbum apresenta as versões do trio para canções como “Travessia”, “A Rita”, “Eu Quero É Botar meu Bloco na Rua”, entre outras. O CD 3, “Abre Alas Pra Minha Folia (By The Shine of Your Eyes)”, tem composições de João Bosco e Aldir Blanc (“O Bêbado e a Equilibrista”), Caetano Veloso (“Atrás do Trio Elétrico”) e Luiz Melodia (“Estácio Holly Estácio), para citar alguns.

“Canta Canta Minha Gente (My Sweetheart)”, quarto disco, é composto por clássicos como “Gente Humilde”, “Menina da Ladeira”, “Luiza”, além do clássico de Martinho da Vila que lhe dá nome. Fechando a coletânea, o quinto álbum, intitulado “Pra Ver a Banda Passar (Back to Brazil)”, traz composições de Ronaldo Monteiro e Ivan Lins (“Madalena”), Antonio Adolfo e Tibério Gaspar (“Sá Marina”) e Paulinho da Viola (“Argumento”), entre outros.

Fundamental – 3 Na Bossa

Há 15 anos, a gravadora Deck (ainda com o nome de Deckdisc) iniciava suas operações, já de forma independente. Desde 1998 sua história foi marcada por apostar em novos artistas, investir em carreiras, fazer projetos especiais e ter ousadia, sempre acreditando no sucesso. Para comemorar essa incrível marca, a Deck criou a série “Fundamental”, que será lançada em dezembro, unicamente no formato digital, e pela qual serão lançadas 47 compilações de seu catálogo.

Ao atingir os 15 anos de idade, a Deck se sente como a debutante ansiosa pela realização de seu baile – diz João Augusto, diretor geral e um dos seus fundadores. E como não vai haver baile, resolvemos compilar nosso catálogo pela primeira vez, de forma a mostrar tudo o que construímos nesse período.

Entre os títulos está uma seleção das melhores canções da série “O Som do Barzinho”, primeiro grande sucesso da gravadora, com mais de 1 milhão de cópias vendidas. Também está na coleção um CD/coletânea do projeto “Beatles ‘n’ Choro”, ideia de Renato Russo, da Legião Urbana, que gerou 4 álbuns que trazem as músicas do quarteto de Liverpool no ritmo do choro.

Tendo seus 6 primeiros discos lançados pela Deck, o Sorriso Maroto terá alguns de seus grandes hits divididos em dois volumes, em razão da grande quantidade de sucessos. As melhores músicas lançadas pela gravadora do Edson & Hudson e do Grupo Revelação também foram repartidas em dois álbuns. Outros artistas que tiveram seus maiores sucessos compilados são Falamansa, Rastapé, Matanza, Fernanda Takai, Erasmo Carlos, Arlindo Cruz, Dead Fish, Ultraje a Rigor, Teresa Cristina & Grupo Semente e Naldo Benny.

Além desses, estarão algumas coletâneas divididas por estilo musical, interpretas por diversos nomes da música nacional, como “Bossa Nova”, “Samba pra Festa”, “MPB” e “Forró”, entre outros.

Como o nome já diz, essa série trará parte do que é “Fundamental” dos grandes títulos lançados pela Deck nos seus 15 anos.