Google+

English

Brendan Benson se apresenta no Google + ao vivo nessa terça-feira (21)

Cantor faz show no dia seguinte no Cine Joia
O cantor e compositor Brendan Benson chegou, nesse final de semana, ao Brasil para algumas apresentações. Ele esteve no festival Bananada, em Goiânia, na sexta-feira (17), na Virada Cultural, em São Paulo, no domingo (19) e nessa terça-feira (21) as 20h ele se apresenta ao vivo pelo Google +/ You Tube Live, onde, além de tocar algumas faixas de seu último álbum, “What Kind of World”, ele responderá perguntas dos internautas. E, ainda, ele estará no Cine Joia, no dia 22 (quarta-feira).

Brendan, que é um dos fundadores da banda The Raconteurs, com Jack White, lançou um novo trabalho solo, “What Kind of World, no ano passado, que chegou ao Brasil pelo selo Vigilante (Deck). O álbum, que foi produzido por ele, mostra uma nova fase de sua vida, refletindo em composições muito mais intimas e verdadeiras.

Google +/ You Tube Live

A partir das 20h

Serviço – Brendan Benson no Cine Joia

Data: 22/05 (quarta-feira)

Local: Cine Joia (Pça Carlos Gomes, 82 – Sé – São Paulo – SP)

Horário: 20h (abertura da bilheteria)

21h (abertura da casa)

23h (horário previsto do show)

Ingressos: R$60,00 – R$ 140,00

Locais de venda:

www.facebook.com/cinejoia na aba “Compre seu Ingresso” e cinejoia.tv/ingressos

Cine Joia: Praça Carlos Gomes, 82 (segunda-feira a sexta-feira, das 10h às 18h, e durante o final de semana, a bilheteria só abre em dia de show, 1h antes da abertura oficial da casa).

Brendan Benson

What Kind Of World

Após três álbuns solo, Brendan Benson apareceu como vocalista e co-fundador da conceituada banda “The Raconteurs”. Dois álbuns e alguns anos depois, ele voltou a trabalhar sozinho e lançou “My Old Familiar Friend” (2009). Esse ano, chega ao Brasil pelo Vigilante, o novissimo trabalho “What Kind of World”, representação da nova fase da vida de Benson e o primeiro a ser lançado pelo seu selo, o Readymade.

Nos três anos que distanciam o trabalho anterior desse, muitas coisas aconteceram na vida de Benson, principalmente o casamento e o nascimento de seu filho, Declan. Ele mesmo diz que isso foi o grande acontecimento desse período e o que deu a ele uma motivação nova para as suas composições: “Se eu tivesse um momento de dúvida eu lembrava de Declan e pensava ‘eu estou fazendo isso por ele.’ Ele é como se fosse a minha banda”- diz Benson.

Dessa forma, suas composições se tornaram muito mais intimas e verdadeiras. Sentimento que já fica aparente na primeira faixa, “I Take It To Heart”, que diz no refrão: “I take it too hard” (Eu levo isso muito a sério). E continua com um dos destaques do álbum, “Bad For Me”, história de um amor destrutivo.

Outras faixas que chamam a atenção no disco são “Come On”, “Light Of Day”, “Keep Me”, “Thru The Ceiling”, “No One Else But You” e “Here in the Deadlights”, música escrita originalmente para o The Raconteurs, mas que Benson alterou um pouco e, com a aprovação da banda, incluiu em “What Kind Of World”.

O disco contou com a participação de Jon Auer (guitarra e baixo) e Ken Stringfellow (teclado e baixo), ambos do The Posies, da cantora Ashley Monroe e teve Joe Costa (Ben Folds, Johnny Cooper) como engenheiro de som. “Estou muito orgulhoso dessas musicas, liricamente.” – diz Benson.