Google+

English


Comprar


Digital

Escute o Albúm

  • Track List
  • Malandro
  • Cipriano
  • Lição de Vida
  • Pinta e Borda
  • Rainha dos Sete Mares
  • A Rosa
  • Curumbandê
  • Nó na Tristeza
  • Deus e Viola
  • Estou com Raiva de Você
  • Samba, Minha Raiz
  • Sal e Pimenta - Mulata Assanhada - Beija-me
Lição de Vida
23/04/2021

Com a gravidez confirmada, a maior preocupação de Elza era garantir a saúde do bebê sem ter que cancelar compromissos profissionais, a fim de prover a família. Naquele ano, puxou o samba enredo da Mocidade, Mãe Menininha do Gantois, garantindo o 3º lugar para a escola. Após o carnaval, diminuiu o ritmo para se preparar para o nascimento do bebê que nasceu em 9 de julho e foi batizado de Manuel Garrincha (se fosse menina, seria Deusa). Garrincha só visitou o filho 4 dias após o nascimento, completamente embriagado, quebrando a promessa que fizera de parar de beber se tivesse um filho homem. Em novembro daquele ano, manchetes de jornais estampariam a notícia de um outro filho homem de Garrincha, já adolescente, o que representou um grande golpe para Elza Soares. Sem cumprir o resguardo, retomou sua atividade cantando em bares, boates, churrascarias, eventos de toda espécie, sem dispensar qualquer oportunidade de ganhar algum dinheiro. Em outubro, sofreu um princípio de infarto após show na Associação Atlética da Tijuca e foi internada com diagnóstico de estafa e recomendação de repouso por 10 dias. Entretanto, no dia seguinte já se apresentava no Teatro João Caetano com o show Seis e Meia, ao lado de Miltinho.
O disco ”Lição de Vida” foi lançado no final do ano e trazia de volta toda a inspiração de Elza Soares, motivada pelo nascimento do filho e a esperança de dias melhores em seu casamento. O título fazia alusão à sua trajetória e estampava na contracapa fotos do casal com o novo filho. As grandes novidades do LP eram o lançamento de Jorge Aragão, de quem gravou “Malandro” e uma canção de Dona Ivone Lara “Samba, minha raiz”. “Curumbandê” era expressão legítima dos ritmos africanos, também evidenciada em “Rainha dos sete mares”, uma homenagem ao orixá Iemanjá.
Ainda naquele ano, gravou “Vale Ouro” para o disco Convocação Geral que antecipava os hits do próximo carnaval.

Deck disponibiliza nos aplicativos de música 5 álbuns de Elza Soares que estavam fora de catálogo
22/04/2021

A gravadora Deck disponibiliza nos aplicativos de música os álbuns de Elza Soares lançados originalmente pela gravadora Tapecar nos anos 70 que estavam fora de catálogo. “Elza Soares”, “Nos Braços do Samba”, “Lição de Vida”, “Pilão + Raça = Elza” e “Grandes Sucessos de Elza Soares” chegam nesse dia 23 de abril às plataformas digitais. A data foi escolhida pela própria Elza, devota de São Jorge.

Ouça os álbuns aqui

Em “Elza Soares” (1974), a cantora gravou músicas inéditas incluindo uma de sua própria autoria “Louvei Maria” e “Deusa do Rio Niger” (Walter Norambê), uma referência a Iansã. “Nos Braços do Samba” (1975) traz o registro de “Saudade Minha Inimiga” (Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito) e “Quem É Bom Já Nasce Feito” (Lino Roberto/ Wilson Medeiros).

No álbum “Lição de Vida” (1976) Elza Soares lançou Jorge Aragão, de quem gravou “Malandro” (Jorge Aragão/ Jotabê) e também registrou uma canção de Dona Ivone Lara “Samba, Minha Raiz” (Delcio Carvalho/ Yvonne Lara). A faixa “Curumbandê” era expressão legítima dos ritmos africanos, também evidenciada em “Rainha dos Sete Mares”, uma homenagem ao orixá Iemanjá.

Elza Soares lançou “Pilão + Raça = Elza” (1977) acompanhada de excelentes músicos como Gilson Peranzzetta, Paschoal Perrota, Rildo Hora, Golden Boys e as Gatas no coro. O disco traz três músicas de sua autoria: “Perdão, Vila Isabel”, “Língua de Pilão” e “Enredo de Pirraça”, que entrou na trilha sonora da novela O Astro.

A Tapecar ainda lançou a coletânea “Grandes Sucessos de Elza Soares” (1978), que incluía o hit “Salve a Mocidade” (Luís Reis), antes só encontrado em compacto.


Produtos Relacionados