Google+

English

Antonio Adolfo relança com Leila Pinheiro músicas feitas em parceria com Tibério Gaspar

Na década de 1960 o pianista carioca Antonio Adolfo encontrou em Tibério Gaspar sua grande parceria para compor. Juntos, escreveram mais de 50 canções e emplacaram grandes sucessos. Agora, Antonio se junta a uma das intérpretes de maior prestígio da música brasileira, Leila Pinheiro, para revisitar esse universo. “Vamos Partir Pro Mundo – A Música de Antonio Adolfo e Tibério Gaspar” chega aos aplicativos de música no dia 13 de março. O álbum também será lançado em CD pela gravadora Deck.

A ideia de gravar esse álbum já era antiga e, amadurecido o projeto, Antonio e Leila passaram a se reunir, trocar ideias, ensaiar, checar os tons etc. Diretor musical e arranjador do álbum, Antonio Adolfo escolheu as canções que pareciam mais atuais e, através das novas versões, trouxe frescor ao repertório. “Para mim era como se fossem músicas novas, uma vez que não havia gravações recentes”, comentou Leila. “Foi um presente mergulhar nessa obra maravilhosa”, completou. “Vamos Partir Pro Mundo – a Música de Antonio Adolfo e Tibério Gaspar” levou um ano para ficar pronto e cada detalhe foi cuidadosamente trabalhado.

Leila Pinheiro é intérprete, compositora e pianista. Lançou mais de 19 discos em quase 40 anos de carreira a serem completados em outubro de 2020. Logo em seu álbum de estreia, “Leila Pinheiro” (Independente/1983), a paraense contou com a participação de Tom Jobim, Ivan Lins, Francis Hime e João Donato. Com Roberto Menescal, trouxe de volta a bossa nova para as rádios e palcos do Brasil e do Japão, ganhando disco de ouro com o CD “Bênção Bossa Nova” (Polygram/1989). César Camargo Mariano produziu “Coisas do Brasil” (Polygram/1993), premiado também com a mesma certificação. Leila assinou a produção de um álbum já histórico — “Catavento e Girassol” (EMI-Odeon/1997) — todo com parcerias do violonista e compositor Guinga com Aldir Blanc. Como compositora, Leila assina parcerias com o líder da Legião Urbana Renato Russo (“Hoje”) e com Zélia Duncan (“Todas As Coisas Valem”), dentre outras.

Antonio Adolfo, desenvolveu sua carreira, a partir de 1963, com seu Trio 3D, no musical “Pobre Menina Rica”, de Carlos Lyra e Vinícius de Moraes. Shows no Beco das Garrafas, com Leny Andrade e Wilson Simonal; Festivais da Canção, com seu grupo Brazuca; participou do grupo que acompanhou Elis Regina em turnês pela Europa; lançou discos solo que viraram parte da história da música brasileira, como o LP “Feito em Casa”, produzido e distribuído de forma independente. Criou há 35 anos seu Centro Musical e recentemente retomou sua carreira solo com grande sucesso no exterior, tendo obtido cinco indicações para o Latin Grammy e para o Grammy.

Nos anos 1960, a parceria de Antonio Adolfo e Tibério Gaspar, que se iniciou em 1967, inclui sucessos como “Sá Marina” — regravada até mesmo por Stevie Wonder — e “BR-3”, vencedora do Festival Internacional da Canção de 1970 na voz de Tony Tornado e Trio Ternura. “Sá Marina” está no álbum, assim como outras doze. No repertório, destacam-se também faixas que fizeram parte da trilha sonora de filmes e novelas, como “Teletema” e “Cláudia”.