Google+

English


Nástio Mosquito na Web

Sobre

Nástio Mosquito é angolano de corpo e alma. Nasceu em 1981, porém mudou-se para Portugal e só retornou ao seu país de origem mais tarde, pós-divórcio e vivência em Londres, onde aproveitou a sua formação em operações de produção em mídia e trabalhou na Televisão Pública de Angola. "Assim que a dita paz se instalou em Angola, decidi voltar para Luanda e estive todo este tempo a aprender o que é o país. O que é estar em Luanda, Benguela e Huambo, cidades onde tenho família e raízes", diz. Em 2006, decidiu fazer em Luanda o espetáculo "Beijinho no Rabo". Após expressa admiração dos artistas Kiluangi Kia Henda, Fernando Alvim e Yonamine, inicia uma carreira prolífica no mundo das artes plásticas e visuais. Hoje é um artista plástico baseado em Luanda mas com reconhecimento global. No ano passado teve uma exposição (Politics of Representation) na Tate Modern, de Londres, e trabalhos seus em Minneapolis, Tóquio, Nova Iorque e São Paulo.


No Museu Berardo, integrou a coletiva No Fly Zone, dedicada à nova arte angolana. A mesma que acabou premiada em Junho com o Leão de Ouro da Bienal de Veneza, através de Edson Chagas, também representado na exposição de Lisboa. No entanto, é na música que Nástio dá asas à sua criatividade e onde se sente realmente livre. Por isso surge "Se Eu Fosse Angolano", aquele que ele considera ser o seu verdadeiro primeiro álbum, apesar de outros lançamentos terem sido mostrados ao público. Um disco global, com diversas influencias e gêneros, do hip-hop ao rock, passando pelo dub e kuduro e letras de uma prosa pessoal, sobre identidade, política, racismo, religião etc.

Discografia