Google+

English

Pitty e Wanderléa comparecem à première do documentário “Tudo pela Música” em São Paulo

Estreou ontem no Cinépolis JK Iguatemi (São Paulo) em sessão exclusiva o documentário “Tudo pela Música”, dirigido por Daniel Ferro. O filme retrata o cenário e as mudanças que ocorreram no mercado musical independente brasileiro nas últimas duas décadas, tendo a história da gravadora Deck como fio condutor. A sessão exclusiva contou com a presença de convidados como o produtor Rafael Ramos, João Augusto (presidente da Deck), Wanderléa, Pitty, Gerson Conrad, Sergio Britto, Beto Bruno e Tato (Falamansa) entre outros.

Na segunda-feira (29) o documentário estreou no Rio de Janeiro, no Cinépolis Lagoon. A exibição contou com a presença de grandes nomes da música nacional, como Fernanda Abreu, Baby do Brasil, Paulinho Moska, Charles Gavin, Marcelinho da Lua e Hamilton de Holanda.

Assista o teaser:

Sobre o filme:

A Deck é personagem principal do documentário “Tudo pela Música”, dirigido por Daniel Ferro. O filme aborda o cenário e as mudanças que ocorreram no mercado musical independente brasileiro nas últimas duas décadas, tendo a história da gravadora como fio condutor. O registro ainda não tem data confirmada de lançamento. Nos últimos 18 meses, o diretor foi atrás de personagens importantes para a música e a cultura do país. Entre eles estão jornalistas, publicitários, radialistas e produtores musicais que, juntos, narram a história da Deck e da indústria fonográfica independente. André Midani, Nelson Motta, Washington Olivetto e Roberto Menescal são alguns desses nomes. Além deles, Artistas que continuam ou já passaram pela gravadora também contribuem com seus depoimentos, entre eles Pitty, Teresa Cristina, João Donato e Elza Soares.

Sobre a Deck:

A Deck iniciou oficialmente suas atividades como gravadora em 1998. Após três anos tendo sua distribuição feita pela Universal Music e depois pela Abril Music, em 2001 tornou-se 100% independente, ao inaugurar sua própria distribuição no Rio de Janeiro. Com um dos estúdios mais modernos, o Tambor, e uma editora que cuida de mais de 10 mil obras e administra cerca de 50 outras editoras, a empresa permanece sólida, mesmo num período de instabilidade do mercado. Voltada ao artístico, a Deck não se restringe a gêneros musicais específicos, tendo em seu catálogo trabalhos de artistas como Pitty, Falamansa, Grupo Revelação, Matanza, Fernanda Takai, Alceu Valença, Elza Soares e Sorriso Maroto, entre outros. Em constante inovação e observando os movimentos nacionais e internacionais, seu presidente e fundador, João Augusto, foi um dos responsáveis pela reativação da fábrica de vinil Polysom, em 2009. E, recentemente, retomou a duplicação das fitas cassetes.